O mundo está mudando e a moda apresenta visualmente esta teoria. Lutas por igualdade, fim de preconceitos, extermínio do ‘pode x’ e ‘não pode y’, é o que mais assistimos e/ou lemos. O que antes era definido e estático, hoje ganha forma fluida – faça como queira, use o que tiver vontade, vá por onde nunca foi, conheça o novo e abandone velhos hábitos, estão em alta e continuarão como tendência. A era digital facilitou a luta por essa causa, mas há muito o que se fazer. Acabar com rótulos é o início, aprender à conviver é o próximo passo.

A moda sempre veio acompanhada de ordens do ‘como usar’ os modelos certos para as pessoas certas. Estampas para magérrimas, listras horizontais para as altinhas, preto para as querem afinar a silhueta… Cansadas de sermos guiadas, nós mulheres, começamos a fazer, dizer, usar, vestir… o que bem entendemos e quem vai voltar atrás depois de sentir o lado bom da liberdade? Ninguém! Precisamos ter coragem e ousadia, mas estamos cada vez mais empoderadas e ditando nossos próprios e próximos passos.

Algumas dicas são super relevantes quando queremos falar do “vista-se bem e o que tiver vontade”:

1- Saiba o que te cai bem. Isso significa conhecer o seu corpo, saber o que, no seu corpo, deseja valorizar (menos padrão e mais você);

2- Use mais o que te fez feliz. Identifique nos looks que você mais ama o que eles tem em comum.

3- Saia da zona de conforto. Oras, se falamos tanto que queremos usar o que faz os nossos olhos brilharem, em algum momento você precisará perder o medo e tentar algo novo. Vai lá e arrase! Se não curtir, ok, só não usar mais daquela maneira, é apenas roupa, não é tattoo eterna.

4- Tenha seu ritual de beleza. Por que não se divertir enquanto escolhe o que usar? Pode sair pelada? Não! Então você não tem outra alternativa, tem que se vestir. Faça desse hábito um prazer. Repare mais no que você gosta de usar e curta o momento.

As suas “regras” são ditadas por você, são únicas e intransferíveis, conhecer e fazer uso de truques é diferente de seguir normas ou mascarar-se. Respeitar indicação de traje é mostrar que se importa com os outros e deve ser mantido. No mais, aceitar e usar o que quer, é respeitar você.

Facebook Comments
Recommended Posts

Deixe um Comentário